menu

Quem sou eu


Direitos e privilégios

10 . Dez . 2015   /  Ativismo e direitos

Semana passada, nos revoltamos com o outdoor em Curitiba, que clamava pelo fim dos privilégios dos deficientes. Felizmente, após um dia se descobriu tratar de uma campanha publicitária da prefeitura da capital paranaense. A Bete escreveu sobre isso em um post passado....

Esclerose Múltipla como esporte radical

23 . Nov . 2015   /  Emoções

Há uma cena, dessas que não sei muito bem como começa ou termina, sem início ou final, em que só há uma imagem do transcorrer de um fato. É como se não houvesse nada antes ou depois. Um episódio sem continuidade ou uma...

Para além de motivos e intenções

05 . Nov . 2015   /  Emoções

Hoje eu termino um processo. Desses em que o caminho ao qual se percorreu é muito mais importante do que o destino a que se chegou. Até porque, nesse caso, não há um fim determinado, mas o fim se confunde com um novo começo, em uma atividade de aprendizado...

Cuidando do cuidador. Ou a parte que nos cabe...

19 . Out . 2015   /  Emoções

Somos moldados em e para uma estrutura em que é vergonhoso depender de alguém. Somos ensinados a sermos independentes e a fazermos tudo sozinhos. Mesmo que aceitemos, depois do diagnóstico, que esse ser autossuficiente é (e sempre foi) uma ilusão, não...

As tiranias da vontade

16 . Set . 2015   /  Emoções

Desde os tratados políticos da antiguidade, o tirano é aquela figura que age segundo seus próprios interesses, ignorando o bem comum. Essa imagem, embora carregue historicamente uma representação negativa, nos ajuda a pensar a tensão existente na...

Gratidão (#JuntosSomosMaisFortes)

31 . Ago . 2015   /  Emoções

Há uma frase meio senso comum e com cara de autoajuda, que diz que você deve deixar de ser um ator coadjuvante e se tornar o ator principal de sua própria vida. De fato, muitas vezes parece que não temos o controle de nossa existência, representamos apenas um papel...

Refletindo sobre a ação

10 . Ago . 2015   /  Emoções

A princípio, pensamento e ação são colocados como polos opostos, coisas contraditórias. Dizem que quem muito pensa, pouco age. Assim, parece algo sem sentido refletir sobre algo que simplesmente se faz. No entanto, tal questão me tem sido recorrente. Ao...

Em negociação com o mundo...

27 . Jul . 2015   /  Emoções

A arrogância do indivíduo moderno nos fez acreditar que nossa ação era independente de tudo e todos. Bastava pensar e executar o que foi pensado, conforme nossas expectativas. No entanto, a experiência de uma doença nos mostra que não é bem...

Nossos Blogueiros

Outros Blogs:

Categorias:




Blog do Jota

quem acredita

associações parceiras